Criatividade em favor da santidade

Quando dizemos que uma pessoa é criativa, referimos a alguém que tem a capacidade de criar, inventar algo. Pode-se caracterizar São Vicente Pallotti como criativo. Neste período da Quaresma, quero abordar a capacidade de criar meios para se viver de forma eficaz este período litúrgico. Para nos inspirar e acrescentar no conhecimento da espiritualidade de S. Vicente, partilho um exercício quaresmal vivido pelo santo: o Relógio da Paixão.

O Relógio da Paixão tem por finalidade de trazer para a memória, ao longo da jornada os sentimentos que Nosso Senhor Jesus Cristo suportou em sua Santa Paixão.  Sabemos pelos próprios escritos de São Vicente Pallotti que ele fazia uso frequente do relógio da paixão para aproximar-se dos sofrimentos do Senhor e crescer no espírito de penitência e mortificação.  Na Sexta-feira de cada semana se faz uma brevíssima reflexão da Paixão de Jesus Cristo, observando o relógio da paixão no desejo de considerar qual tenha sido o sofrimento de Jesus naquele momento.

Pallotti orienta para que todos os membros de nossas casas fizessem durante o dia duas meditações: uma sobre a vida e paixão de N.S.J.C e a outra sobre os novíssimos do homem, a saber, morte, juízo, inferno e paraíso.

As reflexões propostas auxiliam de maneira eficaz a imprimir no coração a Paixão de Jesus e as Dores de Maria como meio para combater os próprios pecados. Para Pallotti, o amor à Paixão de Jesus Cristo combate em nós às paixões humanas.

O relógio da Paixão de São Vicente Pallotti era divido da seguinte forma:

1. Preparação da última Ceia;
2. Lava os pés dos apóstolos e institui a Sagrada Eucaristia;
3. Faz o sermão, e vai para o Horto.
4. Faz oração no Horto;
5. Si coloca em agonia;
6. Transpira sangue;
7. É traído por Judas e amarrado;
8. É conduzido a Anás;
9. É levado a Caifás e recaba a capa;
10. É vendado, espancado e ridicularizado;
11. É conduzido ao Sinédrio e chamado réu de morte;
12. É conduzido a Pilatos e acusado;
13. É ridicularizado por Herodes;
14. É reconduzido a Pilatos e proposto a Barrabas;
15. É flagelado à coluna;
16. É coroado de espinhos e mostrado ao Povo;
17. É condenado a morte e vai para o Calvário;
18. É despojado e crucificado;
19. Reza pelos que o crucificaram;
20. Entrega seu espírito ao Pai;
21. Morre;
22. É ferido com a lança;
23. É tirado da cruz e entregue a sua Mãe;
24. É sepultado e deixado no sepulcro.

Obs.: Às 21 horas, ao sinal do sino se recitará devotamente ajoelhados os cinco Pai Nosso, e Ave Maria em memória da Paixão, Agonia de Nosso Divino Redentor Jesus Cristo, havendo intenção de adquirir os cem dias de indulgências concedidos com o Breve de 13 de dezembro de 1740 por parte do sumo pontífice Bento XIV a todos os fiéis que em tal modo praticam o pio Exercício dos cinco Pai Nosso, e Ave Maria às 21 horas ao som do sino.
Portando, conhecendo um pouco mais da espiritualidade dos exercícios quaresmais de São Vicente Pallotti, possamos, também nós, viver esse momento oportuno de forma mais consistente através da oração, jejum e esmola. Façamos o uso da criatividade em favor da santidade. Busquemos discernir o que Deus quer para nós neste período e colocamos em prática tais obras para a infinita glória de Deus.
Noviço Marco Antonio

Fontes:
PALLOTTI, San Vicenzo. Opere Complete

RUBIRA, Pe. Elmar Neri, SAC. São Vicente Pallotti e a prática dos exercícios quaresmais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Formação Jovem Palotina 2017

Sobre a causa dos santos da família palotina