sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Convite

         
          O Seminário Maior Palotino e todos os demais membros da Região Mãe da Misericórdia do Rio de Janeiro tem a alegria de convidar-te a participar da Celebração Eucarística no qual, nosso confrade José Luiz receberá o ministério de acólito. 
          "O Acólito é instituído para ajudar o Diácono e para servir o Sacerdote. É sua função, portanto, cuidar do serviço do altar; auxiliar o Diácono e o Sacerdote nas ações litúrgicas, sobretudo na celebração da Missa; distribuir, como ministro extraordinário, a Sagrada Comunhão.
          Desempenhará mais dignamente estes ofícios, se participar na Santíssima Eucaristia, cada vez com uma piedade mais ardente, alimentando-se dela e procurando alcançar um conhecimento da mesma sempre mais profundo. 
          Destinado de modo particular para o serviço do altar, o Acólito há-de procurar conhecer o que diz respeito ao culto divino e compreender o seu significado íntimo e espiritual, de modo que, em cada dia, se ofereça a si próprio totalmente a Deus e, por sua atitude grave e respeitosa, seja para todos exemplo no templo sagrado, amando sinceramente o corpo místico de Cristo ou povo de Deus, sobretudo os fracos e os doentes." (Pontifical Romano - Instituição de Leitores e Acólitos). 


          São Vicente Pallotti expressa sobre este ministério:
"Vede, queridos filhos, os admiráveis caminhos da bondade divina. Se considerardes, de um lado, a vossa miséria, vosso nada e vossa indignidade, e de outro, a grandeza das coisas espirituais e divinas, encontrareis uma desproporção tão grande, que jamais poderíeis imaginar que o Clementíssimo Deus fosse querer honrar-vos, em sua Igreja, com um Ministério que vos dá acesso ao Altar para servir no esplendor do serviço Eucarístico." 
          Rezemos, pois, por este nosso irmão, que a exemplo de Nosso Senhor Jesus Cristo, sinta-se empenhado a tal serviço. E assim, consciente, seguir seu chamado vocacional, na salvação de sua alma e do próximo.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

A Parentela Espiritual



            Ontem (5), a Igreja no Brasil, celebrou a solenidade de Todos os Santos. Nós não poderíamos ficar de fora de partilhar sobre a espiritualidade de São Vicente Pallotti de frente a vida dos santos.
Pallotti, desde criança erguia altares em casa para rezar. Demonstrando sua devoção aos anjos e santos desde pequeno. Os exemplos da vida dos santos, para o pequeno Pallotti, era um assunto muito caro.
Durante a vida de Vicente, encontra-se a presença de diversos santos, pois ele procurava imitá-los, de certa maneira. Dizia ele: "Escolhe um santo como Padroeiro, lê a sua biografia e imita uma de suas virtudes".
Conservou sua devoção a São Felipe Neli, que ele chamava de grande apóstolo de Roma. Era devoto de São José Calazans, por ter lembrado a heróica paciência e amor para com as crianças pobres. Também era devoto de Santo Inácio de Loyola. Sempre ia rezar na Igreja del Gesú onde esta o corpo deste santo.  Lá, Pallotti revigorava o espírito e os empreendimentos de São Inácio que tinha sempre presente o zelo pela infinita glória de Deus e pelas almas, bem como o amor para com a Igreja. O Venerável João Berchamans, este também presente na lista de Pallotti, um religioso da companhia de Jesus, ensinou-o a intensificar ainda mais seu amor pela Mãe de Deus. Pallotti ao ler a sua bibliografia sentiu-se inspirado e fez voto de obediência ao seu diretor espiritual, o abade Fazzini.
Através da experiência mística de Santa Catarina de Sena, despertou em Pallotti a devoção do Sangue de Cristo. Santa Catarina, santa dominicana, saudava o Sangue de Jesus, mergulhada e queria que todos se mergulhassem no Sangue do Redentor. Quem apresentou esta Santa a Pallotti, foi seu grande amigo São Gaspar Del Búfalo.
Pallotti se identifica com um grande doutor e místico, São João da Cruz. Com o seu nada e coisa alguma. Buscando somente Deus, um Deus Uno, onde todas as criaturas serão transformadas. No amor a Deus, em João da Cruz, Pallotti se identifica pela fome e sede de Deus que o místico contemplava, frutos da sabedoria e da ciência do Espírito Santo.
São Vicente dedicou seus atos em honra à Santíssima Trindade, sobre a proteção da Sagrada Família de Nazaré, inspirado por São Vicente Ferrrer, em referência ao seu nome batismal.
Deste modo, por exemplo, Pallotti escrevia:
Por um gesto muito especial da divina misericórdia, do amor do S. N. Jesus Cristo, da Proteção da nossa mais que enamoradíssima Mãe Maria virgem imaculada, de S. Jose seu castíssimo Esposo, S. João Batista, de S.João Evangelista, de S. Joaquim e S. Ana, de S. Zacarias e S. Isabel, dos Nove Coros dos Anjos, dos SS. Patriarcas e profetas, dos SS. Apóstolos, Evangelistas, Discípulos do S. N. J. Cristo, Inocentes, Mártires, Pontífices, Doutores Confessores, Sacerdotes, Levitas, Monges, Eremitas virgens, Viúvas e das Almas santas do Purgatório.
 
Pallotti andava persuadido da própria miséria e da miséria que afligia a humanidade. Isso por que Pallotti leu uma citação de Santa Teresa de Jesus, na qual a Santa achava que tinha recebido infinitas graças quando se humilhava. Este então era o motivo de São Vicente Pallotti sempre reconhecer as tuas próprias misérias e se julgar tanto por elas.
Pallotti não recorria somente aos santos para si, mas também colocava seus penitentes sobre a proteção deles. Quando era penitente homem colocava sobre a proteção de São Pedro ou outro Santo do sexo masculino. Se fosse uma mulher, colocava sobre a proteção de Santa Maria Madalena ou outra Santa Penitente.

            Pallotti era impelido por uma espiritualidade de gratidão a Deus Pai pelo seu amor Infinito, que em Cristo o fez sua imagem e semelhança. Assim, via no Cristo, seu irmão e tendo uma parentela sobrenatural, pois considera também todos os santos como seus irmãos, ou seja, tinha uma família também no céu.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Maria Santíssima, a grande missionária



Todos os cristãos, no decorrer de sua caminhada, se deparam com dificuldades, sejam elas de cunho profissional, vocacional ou humano, como família e saúde.  Com tudo isso, corremos o grande risco de desistir da caminhada rumo Jesus Cristo, por percebemos em nós uma falta de força para continuar a caminhar.
Agora, se evidencia aqui a característica de um cristão que se coloca em movimento, isto é, caminha. Se põe a caminhar com o Cristo.
Jesus, ao chamar os seus para anunciar o Reino dos Céus, pede para que saiam de onde se encontram: ide anunciar.  E é o Cristo que caminha conosco! Àquele se pôs a caminho Deus se revela, como se revelou para os discípulos de Emaús e a Maria Madalena, quando ela foi ao tumulo e encontrou o ressuscitado.
Maria Santíssima é aquela que pede ao Senhor por nós, quando nos faltam forças na caminhada. É Maria a primeira a vir em nosso auxílio, a interceder ao seu filho por cada um de nós, ela disse: “Eles não têm mais vinho” (Jo2,3). E Jesus Cristo, então, faz grandes coisas para aqueles que buscam o auxílio de sua Mãe santíssima.
O Mês de Outubro é o Mês do rosário e das missões. Existem inúmeros testemunhos de milagres alcançados por intermédio da recitação do santo terço mariano. A oração do terço é a principal via de evangelização em lugares onde hoje há escassez de sacerdotes. O povo se reúne para rezar o terço em casas e oratórios e, pelos méritos da pessoa de Maria, estes cristãos recebem grandes Graças como Igreja Orante.
Os cristãos têm a necessidade de serem reavivados a todo instante e tem a missão de reacender no mundo todo a Fé e a Caridade. Para obter forças na caminhada temos, primeiramente, que ter humildade de reconhecer nossas dificuldades e apresentá-las a Mãe de Deus, a qual pede a seu filho por nós. Ser humilde é apresentar que nossas ‘talhas’ estão vazias ou estamos com pouco vinho. Para o senhor nos pedir para encher essas talhas de água e confiar que ele pode transformar tudo que está em nós.
Escutamos de algumas pessoas que cada Ave-Maria que rezamos parece uma oração repetitiva, mas, na verdade, se trata de uma oração simples e muito poderosa. Usando uma metáfora. Para um cristão, cada Ave-Maria rezada é como gotas de água que são depositadas nestas talhas que estão vazias. Jesus disse aos que estavam servindo: ‘Enchei as talhas de água’. Encheram-nas até a boca (Jo2,7). Através de cada oração da Ave-Maria nos preenchemos desta água que virá transformar o nosso inteiro, isto é a vida espiritual.
             Pelos méritos de Maria recebemos forças para caminhar como cristãos aqui neste mundo, em uma vida de Santidade, na prática das virtudes.  Pelos méritos de Maria Santíssima não desanimamos do percurso até o seu filho Jesus Cristo. Podemos sentir cansaço, mas estaremos cheios de forças para lutar contra todo tipo de obstáculos que aparecerão em nossa existência.
            Nosso Pai e Fundador, São Vicente Pallotti, pedia para que pudéssemos propagar os méritos de Maria Santíssima, nos quais estaríamos imitando os Maiores santos da Igreja. Ele recorda aos que propagam Maria Santíssima:  “Aqueles que me tornam conhecida terão a vida eterna” (São Vicente Pallotti - OO CC XIII, 356-357). Aquele que propaga as glórias de Maria, a Imaculada Rainha, tem o paraíso garantido.
            Rezar à Maria Santíssima é recorrer ao filho. Anunciar os Méritos de Maria é anunciar o Cristo. Bebamos o vinho novo da vida que Jesus nos dá todo dia. Empenhemo-nos em viver como cristãos missionários das glórias de Deus e dos méritos de Maria. Permitamos Jesus Cristo nos transformar, fazendo tudo o que ele nos pede. “Fazei o que ele vos disser” (Jo 2,5), assim como Maria pediu no evangelho aos servidores da festa de casamento. E o Cristo nos pede para levar este vinho novo aos outros.

Sejamos, então, enviados a missão de levar a todos os povos e nações este vinho que dá a vida, Jesus Cristo, pela interseção da Virgem Maria, sendo recipientes cheios da graça de Deus, cheios do Espirito Santo. Que a Rainha dos Apóstolos e São Vicente Pallotti intercedam por todo nós, cristãos missionários! 
Bruno Bauer SAC









quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Encontro Vocacional - Outubro


          Nos dias 21 e 22 de outubro aconteceu o último encontro vocacional palotino do ano, com a presença de 12 jovens, na intenção de buscar a vontade de Deus. Iniciamos o encontro com um momento de Vida comunitária, depois, na capela, rezamos a hora média, oração das horas.
         Depois participamos de uma colocação do reitor do seminário, padre Gilmar SAC, sobre o aspecto missionário de São Vicente Pallotti, nos inspirando nesse mês das missões o ardor de uma igreja em saída. 
    Na sequência, nos unimos na maior das orações, a Santa missa, entregando a Deus o dom das vocações. Após a Santa missa confiamos à Maria Santíssima o Santo Terço, em consonância com aquela que em um sim genuíno fez a vontade de Deus, sendo modelo de fé e inspiração para aqueles que buscam discernir a vocação. 
          


          Após o jantar, vivemos um momento de confraternização com um filme. No domingo, iniciamos o dia com a Santa missa e a oração das laudes. Após o café da manhã, tivemos um rico e proveitoso atendimento com a psicóloga, encerrando com o almoço. 
         Em nome dos vocacionados palotinos peço a oração de todos vocês, leitores, por toda a comunidade palotina e de modo especial para que Deus nos envie santas e novas vocações. 
          Que Maria Santíssima e são Vicente Pallotti intercedam por todos nós.



quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Formação Jovem Palotina 2017

          Neste último final de semana, 13 a 15 de outubro, aconteceu no Cenáculo Mãe do Divino Amor - Guapimirim, a 4ª edição da Formação Jovem Palotina. Este encontro foi promovido pelos cooperadores da Juventude Palotina para os jovens das diversas paróquias palotinas de nossa Região. Neste retiro, conseguimos experienciar o lema da Juventude Palotina que adotamos desde o início do ano: SOMOS MELHORES JUNTOS. 
          De fato, reconhecemos que o carisma deixado por São Vicente Pallotti foi vivido nestes dias e não somente estudado. Durante esses três dias, os jovens puderam conhecer mais o carisma palotino através dos momentos de formação, oração, adoração, convivência, refeição e lazer. Todas essas atividades pudemos viver movidos pelo carisma palotino, em espírito de cooperação e unidade, até mesmo que entendemos, "a caridade de Cristo nos impele" (2Cor 5, 14). 
          Desta forma, contamos com a participação de alguns jovens que deixaram o seu comentário sobre essa Formação: 

         "A Formação Jovem Palotina 2017 foi sensacional! São Vicente Pallotti se mostrou extremamente presente na organização impecável dos cooperadores e no entrosamento automático dos cursistas. Independentemente dos carismas pessoais, paróquias ou peculiaridades de cada um, todos se tratavam como uma família mesmo sem se conhecer e isso só mesmo Pallotti para proporcionar.
Além disso, nunca vi tantas graças acontecerem por causa do silêncio. Constantemente, vemos graças ocorridas durante pregações, durante orações e louvores entoados, mas o convite de adorar ao Santíssimo, individualmente e no silêncio surtiu efeito em, ouso dizer, todos na formação. Ainda que difícil, foi gratificante.
          Fico extremamente feliz de dizer que sou Palotino e mais do que motivado a levar esse carisma aos outros. 
          Destruída seja toda a minha vida para que só a vida de Jesus seja minha!" (Deryk Renato - Paróquia de São Roque - Vila Valqueire)

          "A Formação Jovem Palotina 2017 foi ótima para minha vida, pois pude conhecer um pouquinho das virtudes e carismas desse Santo incrível que é São Vicente Pallotti. 
          Incrível ver essa Juventude nos moldes de Pallotti, podendo enxergar esse incrível Santo em cada um dos cooperadores, cada um do seu jeito e em cada jeito, Pallotti!!" (Marcos Vinícius - Paróquia de São Sebastião - Itaipu) 


 
 "A Formação Jovem Palotina 2017 foi mais uma oportunidade de sentir a presença de Deus por meio do carisma palotino. Fazer parte dessa família é uma honra imensurável e poder cooperar para salvação do próximo foi,  e ao mesmo tempo é, um presente e uma missão que Deus nos deu e que a Juventude Palotina tem posto essa missão prática.
          Cada momento vivido nessa formação confirmou que sozinhos  somos limitados, mas quando buscamos a unidade somos capazes de realizar maravilhas!!!!!
          São Vicente Pallotti, rogai por nós.
          #somosmelhoresjuntos" (Marcus Axel - Paróquia de Santa Isabel - Bento Ribeiro) 

          "A Formação Jovem Palotina foi do início ao fim, rica na presença de Deus, Maria e Pallotti. É incrível como cada Palotino ali presente seja leigo, seminarista ou sacerdote, não só resplandecem o rosto desse santo magnífico que é São Vicente Pallotti, mas também o rosto de Cristo.
          É incrível como Pallotti, se diminui a cada momento para se preencher de Jesus um pouco mais todos os dia. Seu amor pela eucaristia é algo que devia existir em todas as pessoas batizadas, o desejo de comungar todos os dias e de fazer de todo o seu dia uma ação de  graças é algo inspirador. Isso sem falar da sua devoção a Maria, da sua caridade e a sua consciência que a missão de anunciar o evangelho é algo que todos os católicos deveriam assumir para si, são alguns dos exemplos de como esse santo não só mudou a igreja mas fez com que o carisma Palotino se tornasse um dos mais belos existentes. Reavivar a fé e reacender a caridade é algo que todos deveria desejar.
          “Caritas Christi Urget Nos” (Yuri - Paróquia de Nossa Senhora de Fátima - Itaipuaçu) 

          "A formação jovem Palotina 2017 foi para mim encantadora. 
          Aprendi a no silêncio da adoração encontrar a face de um Amigo e no silêncio do uno encontrar nos amigos a face de Jesus. 😉
#sete
#somosmelhoresjuntos"(Leandro - Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e São João de Deus - Realengo)

          "A Formação Jovem Palotina 2017 foi, desde o início de sua preparação, um grande desafio para mim e sem dúvidas mais um instante de eternidade que ficará para sem em meu coração, onde eu, e acredito, muitos de nós cooperadores, pudemos vencer a nós mesmos, deixando de lado nossos medos, com um único fim comum, fazer com que Deus fosse mais conhecido, amado e seguido, através do exemplo, do carisma, da vida de nosso querido São Vicente Pallotti
           É magnífico ver e saber o quanto nós podemos e devemos fazer quando assumimos essa missão de tudo fazer por amor a Deus e assim se entregar sem reservas para os planos que Ele nos preparou... deixe-se entregar!
          Vivemos um verdadeiro cenáculo, compartilhamos experiências, compartilhamos nossas vidas, fizemos novas amizades, estreitamos laços e aumentamos a família! E assim seguiremos juntos para maior e infinita glória de Deus! #AIDG
#somosmelhoresjuntos" (Renata - Paróquia de Santa Isabel - Bento Ribeiro)

          "A Formação Jovem Palotina 2017 foi só bençãos. Foi sentir-se inteiramente no Cenáculo de Pentecostes, com a presença real da Santíssima Virgem Maria e de Nosso Senhor Jesus Cristo. 
          Vivenciar cada momento programado, cada palestra, oração, me fez crescer e querer ser mais de Deus a cada momento.  
Foi incrível poder participar um pouco da rotina dos Seminaristas com suas orações diárias, aprender a adorar, louvar ao Senhor no silêncio e principalmente a Vigília durante às 24h do dia.
Sou muito grato por ser um Palotino, e fazer parte dessa família. 
São Vicente Pallotti, rogai por nós !" (Victor Leonardo - Paróquia de Santa Isabel - Bento Ribeiro)

          "A formação jovem Palotina 2017 foi M A R A V I L H O S A ! 
Foi maravilhoso conhecer mais sobre São Vicente Pallotti através do amor por ele presente em cada cooperador. A formação encheu meu coração de alegria e me deixou super animada a fazer com que mais pessoas conheçam esse Santo encantador que amou Deus com toda as suas forças e se doou por inteiro a serviço em busca da salvação de todos. A caridade vivida por Pallotti me encanta. Que através da intercessão de São Vicente Pallotti, possamos buscar, a cada dia, reavivar a nossa fé e reacender a caridade.  E que juntos, com Pallotti,  possamos levar o Cristo a todos os nossos irmãos.
#somosmelhoresjuntos
#orgulhodeserpalotina"(Rose - Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Pendotiba) 

"A formação jovem Palotina 2017 foi única. Com novas experiências, novos amigos, novas formas que encontramos de estar mais próximos de Deus, e conhecendo profundamente a vida de São Vicente Pallotti que tanto buscava a santidade se espelhando em Cristo, nosso Senhor.
Palestras maravilhosas e bem preparadas por pessoas que foram canal da providência para que a vivência desse grande santo chegasse até todos os jovens que participaram dessa linda formação para serem missionários da palavra de Deus, assim como São Vicente Pallotti foi."(Sara Bastos - Santuário da Divina Misericórdia - Vila Valqueire) 

"A formação jovem Palotina 2017 foi uma experiência única!
Deus mais uma vez mostrou seu carinho por mim. Através do Carisma Palotino, vemos o quanto a nossa Igreja é rica em essência!!!
Pallotti não descansava. Servia com ternura, amor, compaixão...


Que Maria Santíssima nos ajude a encontrar o Senhor diariamente! " (Marianne - Paróquia de Nossa Senhora de Fátima - Pendotiba)




quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Viva Nossa Senhora Aparecida

Viva a Mãe de Deus e nossa, sem pecado concebida! Viva a Virgem Imaculada, a Senhora Aparecida!” Com as palavras deste canto tão querido ao povo brasileiro, São João Paulo II deu início a homilia que pronunciou na Dedicação da Basílica Nacional de Aparecida, em 4 de julho de 1980.  Em seguida, cheio de admiração pela fé do nosso povo disse: “desde que pus os pés em terra brasileira, nos vários pontos por onde passei, ouvi este cântico. Ele é, na ingenuidade e singeleza de suas palavras, um grito da alma, uma saudação, uma invocação cheia de filial devoção e confiança para com aquela que, sendo verdadeira Mãe de Deus, nos foi dada por seu Filho Jesus no momento extremo da sua vida para ser nossa Mãe”.
Neste ano comemoramos os 300 anos do encontro da imagem milagrosa de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil. Três pescadores, Filipe Pedroso, Domingos Garcia e João Alves, após várias tentativas frustradas no lanço das redes, colheram a maior e mais valiosa pesca de suas vidas. Primeiro, o corpo da santa, em seguida sua cabeça. Para fé daqueles homens o sinal era claro: a Virgem Mãe que não despreza as súplicas de seus filhos em suas necessidades apareceu para socorrê-los.  “E continuando a pescaria, não tendo até então tomado peixe algum, dali por diante foi tão copiosa a pescaria em poucos lanços, que receoso, e os companheiros de naufragarem pelo muito peixe que tinham nas canoas, se retiraram as suas vivendas, admirados deste sucesso” (Este é o relato do Livro do Tombo da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá, datado do ano de 1757)[1].
Assim como fez o discípulo amado, Filipe Pedroso levou a imagem milagrosa da “Mãe de Deus e nossa” para sua casa. Posteriormente seu filho Atanásio Pedroso construiu um pequeno oratório onde colocou a Imagem da Virgem. O povo ali se reunia para rezar o terço aos sábados e devido à ocorrência de diversos milagres, a devoção a Nossa Senhora Aparecida começou a crescer. E hoje, somos uma nação consagrada Àquela que apareceu nas águas do Rio Paraíba para socorrer a necessidade do nosso povo, tal como um dia havia feito em Caná da Galiléia. Como outrora, a Virgem Maria “encaminha ao Filho as dificuldades dos homens, obtendo dele as graças desejadas” (São João Paulo II).
Que neste jubileu, onde comemoramos os 300 anos de bênçãos derramadas sobre o Brasil, supliquemos a Mãe Aparecida, que continue a olhar por nosso país e proteja a nós, seus filhos. Aquela, que acreditou nas promessas do Senhor, nos ensine a ter esperança. Ela que soube esperar, e viu realizada a promessa de Deus, nos ensine a esperar ativamente, sem perder a fé, porque a Deus coisa alguma é impossível (cf. Lc 1, 37) e que o Poderoso pode fazer maravilhas em favor do seu povo (cf Lc 1, 49).




[1]Disponível em: <http://www.a12.com/academia/artigos/1717-tres-pescadores-uma-rede-e-um-milagre />. Acesso em: 07 de set. 2017.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

São Francisco de Assis e São Vicente Pallotti

         Hoje, a Igreja celebra o dia de São Francisco de Assis. Ele nasceu em Assis (Itália) , no ano de 1182. Depois de uma juventude leviana, converteu-se a Cristo, renunciou a todos os bens paternos e entregou-se inteiramente a Deus. abraçou a pobreza para seguir mais perfeitamente o exemplo de Cristo, e pregava a todos o amor de Deus. Formou os seus companheiros com normas excelentes, inspiradas no Evangelho, que foram aprovadas pela Sé Apostólica. Fundou também uma Ordem de religiosas (Clarissas) e uma Ordem de Penitentes Seculares; e promoveu a pregação da fé entre os infiéis. Morreu em 1226. 
          Conhecendo um pouco São Francisco de Assis, em que aspecto São Vicente Pallotti se aproxima deste santo seráfico? 
          Pode-se começar com a questão de seu nome. Vicente foi batizado no dia 22 de abril de 1795, na Basílica de São Lourenço, recebendo o nome de Vicente Luiz Francisco. 
          São Vicente fez jus aos nomes que recebera no batismo, pois desde à infância foi fiel imitador do Pobre de Assis, mando como São Francisco a pobreza e dando a mão-cheias tudo o que tinha. Desde muito jovem, Pallotti era devoto de São Francisco. Quis ser capuchinho, mas a sua débil saúde, as oposições do pai e do confessor convenceram-no a entrar no clero secular. Contudo, ele fez o propósito de viver como capuchinho no clero secular; até 1839 dormiu cada noite vestido com o hábito capuchinho, no chão, sobre o cobertor, tendo uma pedra como travesseiro. Por ordem médica suspendeu este costume, mas todos puderam ver no seu quarto como era a sua cama. 
Foto do Museu Pallotti: Hábito Talar, Casula e Hábito Capuchinho. 
          Esta opção pela pobreza franciscana começara antes. no dia 29 de novembro de 1816, festa de todos os santos Franciscanos, recebera o hábito de terciário franciscano.      
         A pobreza é logo doação de si mesmo aos irmãos mais necessitados; assim dizia São Vicente Pallotti: "Ao ver ou pensar nos pobres, procurarei ajudá-los da maneira que for possível para mim, e como a maior glória de Deus me exige mais,  procurarei ter uma grande compaixão de seu estado miserável, de tal maneira que eu gostaria que todas as partes do meu corpo, e até mesmo minha própria alma, exprimissem compaixão e misericórdia; eu gostaria de me tornar comida, bebida, remédio, roupas, posses etc. para sustentar para sempre as misérias deles, e então eu seria transformado em luz para os cegos, voz para os mudos, ouvido para os surdos, saúde para os enfermos, etc."
          São Vicente Pallotti, à luz de São Francisco de Assis, almeja que a compaixão pelos mais pobres "vazasse pelos poros do seu corpo", isto é, que o preencha e transborde aos demais. 
          Que São Francisco e São Vicente nos inspire às atividades apostólicas, no espírito da Santa Pobreza, seguindo os passos Daquele que era rico e se fez pobre por amor a nós.