Maria em São Vicente Pallotti

 A fé me faz me ensina que Nosso Senhor Jesus Cristo é meu irmão primogênito e, como a Santíssima Virgem Maria é verdadeira mãe de Jesus, ela é também minha mãe! Oh, que abençoado eu sou!” (OOCC XIII, 152-153)

 
Viver a espiritualidade Palotina, também significa viver a devoção mariana. E quão abençoado somos nós por aprender e ter como exemplo a vida de São Vicente Pallotti e seu amor pela Santíssima Virgem Maria, o maior e mais belo modelo de Apostolado, que cooperou de modo singular, como pode, na obra da salvação.

Porém, não só assim enxergava Pallotti, que através de sua visão e de seu amor, nos ensina a ver Maria como modelo de obediência e fidelidade, com seu “sim”, sempre disponível ao plano de Deus; modelo de fé e confiança, sempre confiante na palavra de Deus; modelo de intercessão; modelo de mãe, sempre despertando o coração de seu filho em nós, digna de ser amada e capaz de amar com grande e terno amor, nós, míseros filhos e pecadores. 

E é a essa mãe, no título de Rainha dos Apóstolos, que São Vicente Pallotti coloca sob proteção toda sua obra e trabalho, para que ela, que nos ensina, a partir de tantos modelos, a sermos perseverantes, também nos ajude a levar o Evangelho de seu Filho aonde for necessário, destemidos a reavivar a fé e reascender a caridade.

A nossa missão de Cristão continua sendo a mesma, ajudar outros a se aproximarem de Jesus, torná-Lo cada vez mais conhecido e mais amado. E Pallotti chama a todos, em suas próprias condições, para a missão anunciar Jesus Cristo. A começar por acolhê-Lo, conhecê-Lo e amá-Lo por Maria, e assim imitá-Lo e aprender de sua mãe, em todas as suas iniciativas, esta imitação, da maneira que pudermos, em nosso próprio estado, sempre para a maior e infinita glória de Deus. Que Maria, nossa mãe, seja nossa fiel intercessora e consoladora nessa missão!

Renata Franco (cooperadora palotina)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O melhor... e o pior de mim