VI CONGRESSO ARQUIDIOCESANO DA DIVINA MISERICÓRDIA

Com grande expectativa e emoção realizamos em 23 de junho de 2018 o VI Congresso da Divina Misericórdia. O Congresso teve início com a Missa celebrada pelo aniversariante do dia Dom Orani João Tempesta e contou com a presença do bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Roque Costa Souza, que celebrou naquela data 6 anos de ordenação episcopal. Muitas graças concedidas neste dia!

Após a missa foi servido bolo para todos os congressistas em homenagem ao aniversário de dom Orani. Momento de grande felicidade para todos, por ser D. Orani presença, sempre, bem-vinda, por seu carisma e sua alegria em  estar no meio de nós.

Com grande satisfação padre Daniel Rocchetti, reitor do Seminário Maior Palotino abriu o Congresso com a palestra  “O apostolado dos leigos na visão de São Vicente Pallotti”. Ressaltou, sobretudo , que todos somos chamados à santidade. No Caminho da santidade estão diante de nós três preocupações: 1ª. preocupação: evitar o pecado; 2ª. preocupação: progredir no bem; 3ª. preocupação: unir-se a Deus. Padre Daniel citou a passagem 1317 do Diário em que Jesus fala à Santa Faustina que “Se a alma não praticar a misericórdia de um ou outro modo, não alcançará a Minha misericórdia no dia do Juízo”. Também no Diário - 1578 Jesus fala “Eu mesmo me ocupo com a santificação dessas almas: Eu lhes fornecerei tudo o que for necessário para a sua santidade.” Ainda no Diário -742 “Eu te indico 3 maneiras de praticar a misericórdia: a primeira é a ação,a segunda é a palavra e a terceira a oração” .

Nos apresentou vários exemplos de cristãos a serem reconhecidos como Santos, que se entregaram a Deus pelo seu serviço ao próximo, entre eles os Beatos Elisabetta Sanna e Alexandrina de Balasar. Também os jovens são chamados à santidade lembrados por Padre Daniel na pessoa do Servo de Deus Guido Schäfer. Lembrou-nos ainda que é possível alcançar a santidade no matrimônio citando os Santos Luís Martin e Zelia Guerin (pais de Santa Terezinha)padre Daniel Rochetti concluiu nos apresentando como ação eficaz de busca de santidade no trabalho como leiga, o serviço prestado pela pastoral social. 




Rita de Paula Ribeiro, a nossa Ritinha, testemunhou o seu trabalho a frente desta pastoral, mostrando como Deus vem modelando toda sua vida de cristã no serviço aos mais necessitados. E muitas vezes agir com misericórdia é dar atenção e carinho, alimentado assim a alma daquele que vem em busca de alimento para o corpo. 

Na segunda palestra, cujo tema “O Espírito nos leva ao Encontro da misericórdia” pudemos vivenciar o trabalho do leigo em uma comunidade de vida com a presença de Paulo Diniz, fundador da Comunidade Católica Santos Anjos. Insistiu que nosso caminho é um caminho de oração pessoal todos os dias e que “Deus quer que possamos experimentar sua misericórdia como graça do Espírito Santo”. E nos tempos em que vivemos hoje, cheio de novas ideologias, Paulo Diniz lembrou que também “os jovens precisam de misericórdia”. Muito tocante foi sua colocação de que “as folhas na bíblia são folhas da carne de Jesus”.

Seguiu-se a essa palestra, o testemunho de Marcelo Santos, da mesma Comunidade Católica Santos Anjos, que disse ter aceito o convite para estar no Congresso, por ter ouvido, em seu coração, uma mensagem de Deus dizendo para que ele comparecesse para dar seu testemunho, porque se não fosse por Sua misericórdia, ele, Marcelo, não estaria vivo hoje em dia. Contou-nos sua turbulenta história de vida e  exortou-nos a não desistirmos das pessoas, porque para cada uma delas há uma obra de misericórdia que irá resgatá-la, uma vez que a misericórdia de Deus se alastra, através de nós, para todos que dela necessitam. Deus tem os seus próprios caminhos e, por isso, por sermos misericordiosos, nunca podemos dizer que uma pessoa está perdida. 

Concluiu sua fala narrando um episódio em que não quis seguir Jesus Eucarístico que estava passando e, ao olhar para o lado, percebeu um irmão deficiente físico acompanhando a procissão com dificuldade, mas, apesar da limitação, seguia Jesus com  muita fé e, a partir daí, tomou para si o seguinte propósito:  “Enquanto eu tiver forças e tiver duas pernas, vou correr atrás de Ti, Senhor”. Amém!
Em um clima de grande alegria, chegamos à terceira e última palestra ávidos por ouvir a abordagem que o Padre Alexandre Paciolli faria sobre o tema “Coração misericordioso e coração manso e humilde.”
Com a polidez e o entusiasmo, que lhe são peculiar, o Padre Paciolli trouxe para nós questionamentos que suscitaram profundas reflexões: O que é mansidão? Você é manso quando entra no ônibus? Você é manso quando está no trânsito dirigindo seu carro?

Enumerou três segredos para obtermos a mansidão: 1º) Trabalhar a mansidão; 2º) Ter intimidade com o Espírito Santo e 3º) Silenciar. Acrescentou à esses três segredos, um quarto segredo de grande relevância para nós católicos: “A verdadeira devoção à Virgem Maria”. Disse que quem é devoto de Nossa Senhora é chamado por Deus a viver as virtudes de Jesus em Maria.

Enfatizou que a mansidão e a humildade são virtudes intercaladas. Não basta ser manso sem ser humilde e não basta ser humilde sem ser manso. Os dois atributos complementam-se. Disse que o homem é humilde quando diante de Deus reconhece sua pequenez e que a verdadeira humildade nos leva ao encontro da vontade de Deus.

Encerrou a palestra advertindo que para exercer a misericórdia temos que ser, antes de mais nada, obedientes e que o coração misericordioso é aquele que serve com humildade e mansidão.

Terminada a palestra, Padre Daniel agradeceu o empenho e o carinho de Padre João para a realização desse Congresso e convidou a todos para participar do último ato da programação que seria uma encenação sobre os leigos como testemunhas da misericórdia. Antecipou que seria uma visita inesperada e conhecida por todos os presentes. Disse que depois desse encontro cada um sairia dali certo de que a santidade é possível para todos.

A surpresa que nos aguardava não poderia ser mais intensa, expressiva e santificadora. Fomos agraciados pela grande alegria de conviver, por alguns minutos, com pessoas  reconhecidas por nós por suas  virtudes especiais e por sua dedicação em edificar o Reino de Deus. Pessoas cujas vidas servem de testemunho e de exemplo para nós. Todas elas obedientes, mansas e humildes de coração. Seres humanos que tiveram uma vida terrena como a nossa, mas que souberam assumir a vontade de Deus em suas vidas.  Estavam lá, cada um em sua “cela”: Guido Schaffer, Elisabetta Sanna, Alexandrina de Balazar, Luís Martin e Zélia Guérin (pais de Santa Teresa de Lisieux) e Frederico Ozanan. Na verdade, paroquianos que se dispuseram a se revestir de Santos para verbalizar, de forma amorosa, como é possível ser um amigo de Deus, viver perto dEle, renunciar a tudo por Ele.

Esse foi um momento de grande conexão com o Céu. Momento em que pudemos olhar e  tocar na santidade, ficar face a face com ela. Experimentar e refletir que, também para nós, a santidade é possível. 

Os momentos que sucederam a essa experiência, face a face com a santidade, foram indescritíveis.  As emoções que foram  provocadas por esse encontro, por essas visitas, geraram reações físicas diversas como choro, vermelhidão, tremor e respiração ofegante. Todos estavam muito tocados, sensibilizados e impactados pela forte experiência vivida e pela atitude reflexiva por ela gerada.

Experimentamos, ali, o que Santa Faustina descreve em trecho do Diário -  507: “Já aqui na Terra podemos saborear a felicidade dos habitantes do Céu, pela estreita união com Deus.”

O caminho já  nos foi dado, não nesse  momento, mas, constantemente, pela presença de Jesus Cristo em nossas vidas. O olhar, agora, é que é novo já que a experiência de proximidade com os Santos tocou, fortemente, em nossa alma e em nossa carne.

“A busca de santidade é para todos. Somos convidados a nos revestir das entranhas da Misericórdia”. (Padre Daniel Rocchetti, SAC)


Se tens Cristo no centro de tua vida, verticaliza-te!
Busca tua santidade!
 
 Hildenê Elizabeth S.M. dos Santos e Mônica Nardy.

(Fotos: Pascom do Santuário da Divina Misericórdia)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O melhor... e o pior de mim