Ordenação Presbiteral | Testemunho Daisy Maximo (irmã do Neo-sacerdote)

Padre Denis, meu irmão,
"O sacerdote não se ordena a si mesmo, não chama a si mesmo, não escolhe a si mesmo, mas é chamado e escolhido. E toda escolha sobrenatural não é outra realidade senão um gesto de amor que não tem explicação humana é um ato de amor que só o Senhor pode explicar: Ser sacerdote é ter a consciência de que um dia você foi chamado do meio do povo, consagrado e devolvido ao povo, para servi-lo." Esse chamado que aconteceu bem cedo, pois você ainda era um menino, quando percebeu que só as verdades eternas poderiam preencher seu coração.

Trago em minhas recordações, dentro da inocência de quando éramos crianças, a sua brincadeira de colocar um lençol nas costas fingindo estar vestido de padre, para celebrar a Missa. E o momento em que você partiu, em que o Senhor te olhou nos olhos e a sorrir pronunciou o seu nome. Muito cedo, você deixou tudo e O seguiu. Recordo-me também das lágrimas que partiram dos corações de nossos pais, como as de ontem. Não por tê-lo perdido, mas pelo fato de o Nosso Bom Deus tê-lo encontrado para que tu fosses Dele. A sua família se alegra muito em ter lhe gerado, temos muito orgulho de você, principalmente por sua gratidão. Amamos, amamos muito você!

Desde o seu chamado, passaram-se muitos anos de renúncia, estudos, formação, desafios e perseverança! De fato, maravilhas fez contigo o Senhor! Pois, “ é graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa. Mas graça das graças é não desistir nunca." Pois como voltar atrás? Como você seria feliz, se não fizesse o que Lhe manda o Seu Senhor, tornar-se um Consagrado por Amor?

E que nesse amor você possa permanecer. Que Cristo o conduza por onde os homens necessitem de Tua palavra, que necessitem de força pra viver, onde falte a esperança...
São Francisco de Assis, ensinou que “o homem deveria vibrar, o mundo deveria tremer, o céu inteiro deveria comover-se profundamente quando o Filho de Deus aparece sobre o altar nas mãos de um sacerdote”.

Duas virtudes marcam você, a disponibilidade em servir e a alegria, que elas continuem a te acompanhar ao longo do seu sacerdócio. Principalmente nos momentos mais difíceis e de limitações, que você possa resplandecer a face alegre de Cristo, que está em ti!

Daisy Maximo (irmã do Padre Denis Alves Campos SAC)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre a causa dos santos da família palotina

O melhor... e o pior de mim