TRÍDUO À RAINHA DOS APÓSTOLOS | [2° Dia]

 Tríduo à Rainha dos Apóstolos
[2° Dia]


Comentarista: Neste segundo dia do tríduo em preparação para Festa da Rainha dos Apóstolos, queremos meditar sobre a busca incessante  que Pallotti tinha de Deus e de Maria. Ele queria viver as realidades do céu, já aqui neste mundo. Por isso depois de Deus, venerava Maria. E desde o raiar do dia, colocava todo o seu trabalho diário a seu serviço e implorava a sua assistência maternal. À tarde, agradecia-lhe por isso, e renovava suas orações, seu oferecimento e consagração.
Costumava não dar um passo sequer, sem antes pedir que Maria o abençoasse. Pedia sempre também a bênção da Mãe de Deus, para a sua Obra, o Apostolado Católico. Como Maria implorava a vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos, no Cenáculo, assim também esperava Vicente Pallotti que a Virgem, em oração, no centro dos membros do Apostolado Católico lhes implorasse o zelo apostólico e a coragem missionária. Por isso confiou-lhe toda sua obra ao patrocínio da Mãe, Rainha dos Apóstolos.

Canto: Brilhou no céu da Igreja...

Sinal da cruz
D: Vem Espírito Santo.
T: Enche os corações dos teus fiéis e acende neles o fogo do teu amor.
D: Envia o teu Espírito e tudo será recriado.
T: E renovarás a face da terra.
D: - A entrega da Sociedade do Apostolado Católico aos cuidados de Maria, Rainha dos Apóstolos, era, portanto, algo bem definido para Vicente Pallotti já desde o início da sua fundação. Com persistência admirável ele descobre motivos para honrá-la sob este título até o fim de sua vida, e incentiva os membros da Sociedade a invocar Maria como Rainha dos Apóstolos, diariamente, em todo lugar e a toda hora, se possível. Assim rezava:
T: - Ó piíssima Virgem Maria, Rainha dos Apóstolos e advogada do gênero humano, nós, humildemente, suplicamos: intercede junto do teu Unigênito Filho Nosso Senhor Jesus Cristo, para que, na força do Espírito Santo, estejamos sempre dispostos a trabalhar por aumentar, defender e propagar a fé e a caridade. Ouve, com benignidade de sempre, as nossas orações. Aceita, com todo carinho, as nossas súplicas. Tem a bondade de alcançar-nos a graça, para que combatamos o bom combate, cheguemos ao final da carreira, conservemos a fé. Assim, entre as fileiras dos santos Apóstolos possamos receber a coroa da justiça. (Faller, n. 73)
L: - A imagem da Rainha dos Apóstolos sugere-nos, de imediato, a comunidade dos discípulos reunida em oração, antes de Pentecostes. Os discípulos reunidos em torno a Maria, a Mãe do Senhor, aguardavam a vinda do Espírito Santo. Esta figura lembra a promessa de Jesus de que o Pai enviaria o seu Espírito, para que os discípulos recordassem tudo quanto Ele havia dito e feito (Jo 14,26).
L: - Pallotti, convencido de que é preciso todo dia, novamente, ir à escola de Jesus e pedir-lhe: Senhor ensina-nos a rezar, levou a efeito a aplicação prática deste princípio: Com a mais viva confiança de que Nosso Senhor Jesus Cristo, no santíssimo Sacramento, está num trono de graças, esperando-nos com amor infinito, para no-las comunicar todas, a todo instante. Por isso digamos com amor e humildade.
T: - Ó Sagrado convívio em que se recebe a Cristo, renova-se a memória de sua paixão, a alma se enche de graça e se nos dá o penhor da futura glória.
L: - A espiritualidade de Pallotti parecia centrar-se no aspecto contemplativo da vocação sacerdotal. “Faço a intenção de que eu e todas as outras criaturas estejam perpetuamente ocupados em uma profundíssima veneração da Santíssima Trindade, que está conosco em todo o lugar, em uma altíssima adoração de Jesus Sacramentado, em todos os lugares onde ele se encontra, cada um porém infinitamente, em uma muito obsequiosa e muito afetuosa veneração de Maria Santíssima, nossa comum Mãe, que é toda a nossa esperança depois de Jesus Cristo, em um afetuosa e reverencial veneração dos Anjos e dos Santos (...) e faço a intenção, eu, com todas as criaturas, de fazer na terra o que fazem os Beatos no céu” (OOCC X, 77).
T: - Faço a intenção de estar sempre em profundíssima adoração da Santíssima Trindade, de Jesus Sacramentado, em todos os lugares onde se encontra em altíssima veneração da minha mais que enamoradíssima Mãe Maria, e gradativamente dos Anjos, dos Santos e das almas que são agradáveis aos olhos de Deus (OO CC X, 526).
Em silêncio, adoremos o Senhor em espírito e verdade
L: - Deste-lhe pão do céu.
T: - Que, em si, contém toda doçura.
D: - Ó Deus, sob as espécies deste admirável sacramento, deixaste-nos o memorial da tua paixão. Concede-nos venerar os santos mistérios do teu Corpo e Sangue, a fim de que possamos colher sempre em nós os frutos da tua redenção. Tu que vives e reinas nos séculos dos séculos. Amém.
Vós sois a luz do mundo
L: - A Sagrada Escritura afirma que fazer brilhar a nossa luz é fundamental para nós que somos chamados a ser cristãos: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha” (Mt 5, 14). “Porque o Senhor assim no-lo mandou: ‘Eu te estabeleci para seres luz das nações, e levares a salvação até os confins da terra” ( At 13, 47). “Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas” (1Tes 5, 5).
L: - No seu tratado sobre o ‘Espírito Santo’, São Basílio Magno explica como a presença do Espírito ajuda a iluminar esta luz que está dentro de nós: “O Espírito é fonte de santificação e luz inteligível. Oferece a toda criatura inteligente a si mesmo e através de si mesmo luz e ajuda para buscar a verdade… do mesmo modo, dos raios de sol, do qual os benefícios são sentidos por cada um como se resplandecesse somente para ele… assim também o Espírito Santo …infunde em todos uma graça suficiente e total…
Leitura bíblica e momento de reflexão (1Jo 4, 12-16)
Preces espontâneas
L: - Senhor, necessito do teu Espírito! Daquela força divina que transforma tantas personalidades humanas, tornando-as capazes de gestos extraordinários. Dá-me esse Espírito que, vindo de Ti e indo a Ti, Santidade infinita, é um Espírito Santo.
T. Dá-me aquele Espírito que tudo perscruta, tudo sugere e tudo ensina: Ele me fortalecerá para suportar o que ainda não posso suportar. Aquele Espírito que transformou os débeis pescadores da Galileia em colunas da tua Igreja e em apóstolos que deram com o holocausto da vida, o supremo testemunho de seu amor aos irmãos.
Enamorado por Maria
D: - Vicente Pallotti fez um voto de sempre atribuir os títulos mais sublimes à Mãe de Deus. “Sou indigno de amar Maria, mas pela misericórdia de Deus e pelos merecimentos de Jesus Cristo, quero pedir a graça de amá-la, propondo-me amá-la com o amor com que Deus a ama.
Resposta de Maria a seu servo fiel
L: - No último dia do ano de 1832, a grande Mãe da Misericórdia, para triunfar com o Milagre de Misericórdia sobre a ingratidão e inconcebível indignidade do mais miserável que jamais se viu ou possa existir entre os súditos do seu Reino de Misericórdia, se dignou misericordiosissimamente fazer o matrimônio espiritual com tal súdito e lhe dá como dote quanto possui e lhe faz reconhecer o próprio Filho divino e, sendo ela Esposa do Espírito Santo, se empenha para que seja todo internamente transformado no Espírito Santo.
D: - Consagração a Jesus por Maria, de S. Vicente Pallotti.
T: - Imaculada Mãe de Deus Rainha do céu, Mãe de Misericórdia, advogada e refúgio dos pecadores, iluminado e confortado pelas graças que a tua materna benevolência me conseguiu do tesouro divino, quero entregar, agora e sempre, o meu coração em tuas mãos, para que o consagres a Jesus. Sim, ó Maria, perante os anjos e santos eu te entrego e tu, em meu nome, o consagras a Jesus. Pela confiança filial que deposito em ti, sei com certeza, que haverás de fazer, agora e sempre, quanto puderes para que o meu coração seja todo de Jesus, à imitação dos santos, em especial de são José, teu castíssimo esposo. Amém!
D: - Façamos também a nossa consagração ao Espírito Santo.
CONSAGRAÇÃO AO ESPÍRITO SANTO
T: - Espírito Santo, Espírito divino de luz e de amor, a ti consagro a inteligência, o coração, a vontade e toda a minha pessoa, no tempo e na eternidade. A minha Inteligência siga sempre as celestes inspirações e a doutrina da Igreja católica, da qual és guia infalível; a minha vontade concorde sempre com a vontade divina e toda a minha vida seja uma fiel imitação da vida e das virtudes do Senhor e Salvador nosso Senhor Jesus Cristo, ao qual juntamente com o Pai Eterno e contigo seja a honra e glória por toda eternidade. Amém.
Oração final
Oremos: Ó Deus, que enviaste o Espírito Santo aos teus Apóstolos, enquanto rezavam em companhia de Maria, Mãe de Jesus, concede-nos, por intercessão dela, a graça de te servir fielmente e difundir, com a palavra e o exemplo, a glória do teu nome. Por Nosso Senhor, Jesus Cristo. Amém.
Bênção final

Canto

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre a causa dos santos da família palotina

O melhor... e o pior de mim