Os Anjos na Espiritualidade de São Vicente Pallotti

              Hoje, a Igreja celebra o dia dos anjos da guarda. Desta maneira, gostaríamos de partilhar um pouco sobre a espiritualidade de São Vicente Pallotti em relação a esses seres espirituais.
“Por todo o seu ser, os Anjos são servidores e mensageiros de Deus. Porque contemplam “constantemente a face de meu pai que está nos céus” (MT 18,10), são “poderosos executores de sua palavra, obedientes ao som de sua palavras” (Sl.103,20)”. O coro dos anjos da guarda é uma ordem do Senhor que reavivemos nossa fé nos Anjos da Guarda e, ainda, que procuremos imitá-los. Eles são enviados com a missão de assistir e proteger aos pobres e pequeninos. Transmitem luz divina às mentes e fazem com que os nossos corações sejam movidos docemente, afastando-os do pecado e conduzindo-os à graça. Também os afastam do perigo e os guiam por estradas seguras. Eles jamais abandonam aqueles que os foram confiados pelo Altíssimo, mesmo que estejam em pecado. Tomados de um profundo êxtase, contemplam na Luz Divina, tantos cuidados do Amor Infinito e não cessam de louvar a bondade e a misericórdia de Deus que sempre procura conquistar suas criaturas para se dar a elas por toda a eternidade. 
São Vicente Pallotti chamava os Anjos de “espíritos beatíssimos”. Entendia que eles assistiam aos homens nas precisões da alma e do corpo. Lembrava-se sempre, em suas orações, de agradecer, em primeiro lugar, a Jesus, Maria Santíssima, os Anjos e os Santos.
Anjos são seres puramente espirituais isto é um ser de luz.
Nossa alma é profundamente cheia de necessidades e, para vir de encontro a essas necessidades e livrando-nos de todo o mal, o santo amor de Deus nos presenteia com os Anjos que formam o chamado Coro dos Anjos da Guarda ou Custódios. Eles nunca nos abandonam. Tomam conta de nós dia e noite, mesmo quando estamos em pecado. Eles são dons inefáveis do amor e misericórdia infinitos de Deus. Toda alma tem um Anjo que a protege, que lhe comunica as santas inspirações de bem agir, evitando o mal. Se ela peca, o remorso é despertado. O Anjo nos acompanha em todos os lugares e nos guiam diligentemente ao nosso único felicíssimo término.
Fazer na terra o que os anjos e santos fazem no Céu, este era o desejo de Pallotti em relação a este mundo celeste.
Por isso, assim com o exemplo de São Vicente Pallotti, renovemos a nossa devoção aos anjos da guarda.

Comentários

  1. A espiritualidade Palotina sempre é fonte de inspiração para mim, além de outros Santos que nos ensinam o que nos pode acrescentar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O melhor... e o pior de mim